centro de mioma - histerectomia

Histerectomia – Vídeo #12

 

No vídeo de hoje o doutor Michel Zelaquett esclarece 7 dúvidas sobre os miomas.

Assista:

 

 

 

 

Transcrição do Vídeo

Olá, eu sou o Doutor Michel Zelaquett, Diretor do Centro de Mioma

Hoje vamos falar sobre histerectomia, que é a retirada do útero.

A retirada do útero é uma opção sim, ao contrário do que muita gente pensa ela não é a única, mas é uma opção viável para tratamento de miomas. É um tratamento radical, e é bastante indicado pelos ginecologistas por isso esse assunto traz bastante polêmica principalmente em mulheres que querem preservar o útero.

Hoje em dia nos Estados Unidos são realizados cerca de 400.000 histerectomia por ano, no Brasil apenas pelo SUS, são realizadas cerca de 100.000. E uma em cada cinco histerectomia são desnecessárias, infelizmente. Por ser um tratamento bastante difundido, bastante realizado, na verdade é o tratamento mais realizado para os miomas. Foi a primeira opção de tratamento cirúrgico para os miomas uterino, e hoje existem diversas técnicas para realização da retirada do útero.

É importante entender que não temos que condenar a histerectomia, porque ela é uma opção de tratamento, precisamos entender quais são as suas vantagens e desvantagens no tratamento de miomas. A histerectomia por ser radical gera muitas dúvidas, principalmente para aquelas que querem preservar o útero.

Quando a histerectomia é opção de tratamento para mulher que tem os miomas uterinos?

Em primeiro lugar, se a mulher deseja preservar o útero já temos que pensar numa alternativa de tratamento, como tratamentos medicamentosos, a miomectomia, ou até mesmo na embolização dos miomas. Se a mulher não quer tirar o útero só vai proceder à retirada se não houver alternativas de tratamento que traga para esta mulher ganho de qualidade de vida. A histerectomia é uma opção de tratamento quando não tem outras alternativas que promovam ganho de qualidade de vida para sua mulher.

É uma ótima alternativa de tratamento para as mulheres que desejam retirar o útero. A grande maioria das mulheres que nos procuram desejam preservar o útero mas existem casos de mulheres que querem retirar e acima de tudo deve ser respeitado o desejo da mulher.

A retirada do útero se faz necessária principalmente quando as outras opções de tratamentos conservadores não são eficazes na melhora de qualidade de vida da mulher e  na melhora dos sintomas como, sintomas hemorrágico, sintomas compressivos, cólicas.

por isso temos a histerectomia como alternativas

A histerectomia gera muitas dúvidas, muitas mulheres quem medo do que que vai acontecer com o assoalho pélvico, as mulheres têm medo de depois que retirar o útero vai ficar perdendo urina, e acabar tendo que fazer uma cirurgia de períneo porque a vagina acaba perdendo a elasticidade, outra preocupação está em relação a libido, perda da função sexual, em relação à questão da menopausa, função ovariana.

Vamos deixar bem claro esses pontos para todos vocês, tirar as dúvidas em relação em a histerectomia. São alguns mitos temos que estabelecer o que é mito do que é verdade

Em relação ao assoalho pélvico: Está provado que mulheres que retiram o útero não necessariamente vão ter problemas a mais de perda de urina ou de queda da bexiga ou de prolapso de cúpula vaginal. Dependendo da técnica utilizada você consegue fazer uma histerectomia preservando os ligamentos que sustentam a vagina, a bexiga e até mesmo o reto, e com isso você diminui a incidência desses eventos principalmente incontinência e urinária e os prolapsos vaginais, como prolapso de cúpula vaginal, prolapso da bexiga ou do reto saindo pela vagina.

Através de uma técnica cirúrgica bastante conservadora no quesito os ligamentos que sustentam o assoalho pélvico muito pouco provavelmente terá essa consequências negativa.

Por isso para mulheres questionam “será que eu vou retirar o útero depois vai tudo cai pela vagina?” a resposta é não. Quando isso acontece, são mulheres têm predisposição a aparecimento de hérnia por exemplo, a hérnia pode ser um indício de que essa mulher independente de retirar o útero não, pode apresentar incontinência urinária no futuro.

Então técnica respeitando os limites anatômicos, pode diminuir a possibilidade desses eventos.

Outra questão é:  em relação aos ovários, e os hormônios.

Como ficam os hormônios femininos depois da retirar do útero.

Precisamos estabelecer o seguinte: Quando for indicado à histerectomia você deve perguntar ao seu médico se os ovários serão retirados ou não, isso faz uma grande diferença, se os ovários ainda são funcionantes, se você ainda menstrua. É extremamente recomendado que seja preservado os ovários, se eles estiverem normais porque eles continuaram produzindo hormônios que manterão a sua função ovariana. Então você vai acabar entrando na menopausa, ou seja o ovário vai acabar entrando em falência, na época natural. Então se você tirou o útero aos 45 e sua menopausa está prevista mais ou menos para os 50, sendo preservados os ovários ainda terá 5 anos de produção hormonal que é extremamente importante para você. É sempre importante para que mantenha-o para função ovariana, e com isso vão continuar produzidos os hormônios estrogênio e progesterona principalmente, a função sexual ela fica preservada, a libido fica preservada a função sexual e a libido não estão relacionadas, está mais do que provado, a questão da presença ou não do útero, ela está relacionado a questão hormonal, então sendo preservados os ovários a função sexual ela é preservada, a libido é preservada.

A libido está relacionada a questão hormonal dos ovários.

Outra questão que muita gente pergunta, relacionado também a função sexual tá na questão do prazer, que pode ser relacionado a presença ou não do útero.

O útero não é responsável pelo orgasmo da mulher, então miomectomia não vai fazer com que essa mulher tenha menos orgasmos, também não está relacionado ao colo do útero. Está provado que os centros erógenos na pelve da mulher, o útero tem muito pouca relevância, a questão do orgasmo não está relacionada a isso. A mulher que tirou o útero não fique achando que a sua função será diminuída. Isso é um mito e temos que esclarecer para todas as mulheres.

Outra questão: lubrificação vaginal. Muitas mulheres acham que retirar o útero vai diminuir a lubrificação vaginal, veja bem se for retirado o ovário você vai perder os hormônios estrogênio e progesterona e certamente isso influenciará na lubrificação vaginal. Se os ovários forem preservados, o útero não é responsável pela lubrificação vaginal, os responsáveis são as glândulas que estão localizadas intróito vaginal, por isso a ausência do útero não vai influenciar na lubrificação, o que vai influenciar é a presença dos hormônios que vão promover a lubrificação vaginal através dessas glândulas que vão promover a liberação do muco.

Daí a importância da sua função importância dos ovários que quando estiverem normais deve ser preservado sim, para que essa função hormonal, sexual da libido não seja alterada. Não estamos advogando pela retirada do útero apenas informando que em caso de histerectomia a função sexual vai ser preservada;

A Menopausa não é caracterizada pela ausência de menstruação, lógico que com retirada do útero a mulher vai parar de menstruar, que se for olhar semanticamente o que significa menopausa é a parada da menstruação, quando olhar fisiologicamente a parada da menstruação ela se faz pela parada de produção dos hormônios estrogênio e progesterona pelos ovários, você parar de menstruar pela ausência desses hormônios, pela falência hormonal é diferente de você parar de menstruar pela retirada do útero.

Quando é feito a retirada do útero porém são preservados os ovários, a mulher para de menstruar porém os hormônios continuam sendo produzido então toda função hormonal dela está preservada, ela não vai ter aquele sintomas da menopausa, com os calores, diminuição da libido, irritabilidade, insônia, ressecamento vaginal, desde que os ovários sejam preservados.

É importante batermos nessa tecla porque muitas mulheres acham que retirar ao útero vai entrar na menopausa mas não. Você vai parar de menstruar, mas se seus ovários forem preservados você vai continuar ovulando, ciclando toda questão hormonal será preservada.

Outra dúvida: Se eu continuar ovulando tem risco de engravidar?

Lógico que não, se você não tem o útero você não tem o risco de engravidar se for preservar os seus ovários. O útero é a matriz onde é concebido o feto, então obviamente se não tem útero, não tem muito a probabilidade você engravidar. Existem relatos de gravidez abdominais em mulheres que não tem útero mas a probabilidade é extremamente remota não é motivo de preocupação.

Agradeço mais uma vez, não se esqueça de se inscrever em nosso canal, na nossa newsletter para receber informações.

Muito obrigado.